Diferença entre um servidor e um desktop

Trago um texto que aborda um assunto bastante interessante para quem atua ou deseja atuar na área de infraestrutura de TI: existe diferença entre um servidor e um PC comum atuando no papel de servidor?

A pergunta torna-se bastante pertinente se levarmos em consideração que a grande maioria das pequenas e médias empresas adota desktops para atuarem no papel de principais computadores da empresa, servindo outras máquinas de rede para acesso à base de dados de ERPs, para emissão de NFs, como servidor de arquivos e etc.

Se tratando de uma máquina que responde por quesitos críticos (tais como os citados acima), seria mesmo correto utilizar um desktop no lugar de um servidor?

Minha resposta é não! Vejamos o porque…

A primeira vista, um desktop e um servidor equiparam-se, visto que atualmente desktops já saem de fábrica com grande poder de processamento e armazenamento. No entanto, existem diferenças que realmente fazem A DIFERENÇA.

A principal questão aqui é que computadores desktop não são projetados para o uso contínuo, ou seja, não estão preparados para suportar grandes cargas de trabalho com rapidez e eficiência muito menos suportar expansão ou substituição de hardware sem a necessidade de paradas ao contrário de um servidor que é projetado levando em consideração estas necessidades fundamentais.

Em servidores são utilizados componentes e placas mais robustas, sistemas de redundância (discos, alimentação de energia, coolers e outros), sistemas de refrigeração mais elaborados, recursos avançados de gerenciamento, possibilidade de substituição e expansão de hardware sem a necessidade de paradas (Hot swap), além de suporte diferenciado que é oferecido pela maioria das grandes empresas do ramo. Tudo isso para garantir a disponibilidade e confiabilidade na entrega de serviços e continuidade dos negócios.

Dentre os principais aplicativos e sistemas implantados em um servidor, estão:

  • Servidor de arquivos e impressão;
  • Sistema Microsoft Exchange ou outro servidor de e-mail;
  • Firewall ou outro sistema de segurança;
  • Site da web ou intranet da empresa;
  • Banco de dados • solução CRM ou ERP;
  • Solução de e-commerce;
  • Active Directory.

O grande motivo que leva PMEs para a adoção de desktops como servidores é simples: O CUSTO! Na hora da aprovação de uma proposta, na grande maioria das vezes, a avaliação é feita exclusivamente pensando em valores, deixando de lado requisitos técnicos importantes para um ambiente de TI saudável.

Vamos imaginar o seguinte cenário:

Temos uma empresa de médio porte que, além das suas rotinas diárias, está em dias de fechamento de folha e emissão de relatórios. Vamos supor que esta empresa adotou como servidor um PC que acabou sobressalente e que por acaso este veio a queimar a fonte em um dia de grande carga de trabalho. Uma fonte de alimentação queimada, em um computador comum, é sinônimo de equipamento parado, ou seja, prejuízo na certa levando em consideração que a empresa deixaria de rodar tudo que estava fazendo por X horas até a substituição da mesma.

E agora, será que vale a pena economizar na aquisição e deixar uma empresa parada por um problema tão banal?

Bom, agora que você já sabe o que argumentar com seu chefe na hora de optar por um servidor ou desktop, apresente pra ele um servidor que atenda às necessidades da empresa.

Ah, antes que alguém deixe algum comentário revoltado: eu não condeno totalmente a utilização de desktop como servidor, desde que os processos envolvidos não sejam de nível crítico, ou seja, que não tragam problemas/prejuízos em caso de parada total do equipamento!

  • Um servidor é um sistema projetado especificamente para guardar, gerenciar, enviar e processar dados. Logo, existe toda uma tecnologia por trás deles, que são elas:
  • Faz deles mais confiáveis do que os desktops;
  • Ajuda-os a processar dados com mais rapidez e eficiência;
  • Pode ser estendida para suportar backup e segurança de dados;
  • Reduz os gargalos de dados, de modo que as informações fluem mais livres e rapidamente;
  • Foi projetado para ser ampliada conforme suas necessidades aumentarem.

Resumindo, um servidor é muito mais do que um desktop turbinado e não pode ser substituído por um. Os desktops são otimizados para executar sistemas operacionais amigáveis ao usuário, aplicativos de área de trabalho e para facilitar outras tarefas de área de trabalho. Mesmo que um desktop tenha a mesma velocidade de processador, memória e espaço no disco rígido que um servidor, eles não serão iguais, porque as tecnologias por trás deles foram projetadas para usos diferentes.

Partes do texto adaptados de Profissionais de TI.

Gestor de TI: o que faz na prática o profissional?

A tecnologia está cada vez mais presente na rotina da maioria dos profissionais que lidam em ambientes organizacionais.

E, nesse contexto, a Tecnologia da Informação ganha mais importância. Mas você sabe o que é a TI?

O conceito envolve os aspectos humanos, administrativos e organizacionais relacionados ao processamento de dados, aos sistemas de informação, à engenharia de software, à informática e ao conjunto de hardware e software.

Nas organizações, de forma geral, pode-se dizer que a área de TI se torna parte essencial no fluxograma das instituições, com destaque para o gestor de TI. Ele é o profissional que, por meio das perspectivas gerenciais, cria métodos e ferramentas para os processos de gestão das tecnologias da informação, visando administrar de forma segura as informações, bem como planejar e organizar o uso de cada uma de maneira inteligente. O objetivo das ações é garantir competitividade às organizações.

O dia a dia do gestor de TI

Dentro das instituições, o profissional da Gestão de TI realiza diversas tarefas em seu dia a dia, as principais delas são:

  • administrar a infraestrutura física e lógica dos locais informatizados;
  • definir regras de utilização de sistemas;
  • gerenciar os recursos humanos participantes das tecnologias da informação;
  • acompanhar e definir rotinas;
  • controlar os serviços de sistemas operacionais e de banco de dados;
  • estudar e buscar reduzir os impactos tanto sociais, quanto econômicos e ambientais das tecnologias da informação na organização.

Assim, para trabalhar na gestão estratégica da informação, das tecnologias e dos processos que suportam seu processamento nas organizações, o gestor de TI pode atuar em diversas funções, sempre de acordo com o tamanho e maturidade da empresa. O fórum virtual ItForum 365 preparou um especial sobre o profissional de Gestão de TI no qual descreve as principais possibilidades de atuação na área. Nas empresas mais novas, o gestor de TI comumente assume a função de prover sistemas e tecnologias para otimizar a gestão da organização, enquanto que dentro das companhias mais maduras o gerente de TI costuma ajudar a definir estratégias empresariais, ideias, inovações, e ainda colabora com a criação de novos formatos de negócios.

Dessa forma, o mercado para a área de TI evoluiu. Se antigamente o gestor de TI era conhecido como o “cara da informática” e era o profissional procurado pela equipe quando a internet caia ou a impressora parava de funcionar, hoje o gerente de TI explora e aperfeiçoa as tecnologias, fazendo a conexão entre a ferramenta e a estratégia de negócios. Então, mais do que conhecimento das tecnologias, o profissional precisa de uma formação que lhe permita ter visão de negócios e o planejamento de ações estratégicas.

Fonte: Mercado em Foco

Possíveis interferências no Wifi

Saiba como diminuir as interferências sem fio que podem deixar o desempenho mais lento ou desconectar a rede Wi-Fi e os dispositivos.

Verifique se há interferências sem fio no caso de ocorrer uma destas situações:

  • Baixa intensidade de sinal no menu Wi-Fi
  • Conexão mais lenta com a Internet ao usar a conexão Wi-Fi
  • Transferência mais lenta de arquivos entre computadores usando o Wi-Fi
  • Impossibilidade de emparelhar um dispositivo Bluetooth, ou teclado sem fio.
  • Cursor do mouse se movendo de maneira errada ou acelerada ao usar mouse sem fio
  • Mensagens constantes de “conexão perdida” ao usar um dispositivo Bluetooth ou Wifi

Fontes de interferência

Os itens a seguir, se estiverem por perto, poderão causar interferência em redes Wi-Fi e dispositivos Bluetooth.

Fornos micro-ondas

Usar forno micro-ondas próximo do computador, do dispositivo Bluetooth ou da estação base Wi-Fi pode causar interferência.

Serviços Diretos de Satélite (DSS)

Os conectores e o cabo coaxial usados em certos tipos de antena parabólica podem causar interferência. Verifique se os cabos estão com danos que podem causar interferência por radiofrequência (vazamento RF). Substitua os cabos se você suspeitar que haja interferências.

Fontes de alimentação

Certas fontes elétricas externas, como linhas de transmissão de energia, trilhos ferroviários elétricos e estações de energia, podem causar interferências. Evite colocar a Estação Base AirPort, o AirPort Time Capsule ou o roteador Wi-Fi perto de linhas de transmissão em uma parede ou de uma caixa de disjuntor.

Telefones 2,4 GHz ou 5 GHz

Telefones sem fio que operam na faixa de 2,4 GHz ou 5 GHz podem causar interferências em redes ou dispositivos sem fio ao atender às chamadas.

Vídeo em radiofrequência sem fio 

Transmissores de vídeo sem fio que operam na largura de banda de 2,4 GHz ou 5 GHz podem causar interferências em redes ou dispositivos sem fio.

Alto-falantes sem fio

Áudio sem fio que opera na largura de banda de 2,4 GHz ou 5 GHz pode causar interferências em outras redes ou dispositivos sem fio.

Algumas telas de LCD e monitores externos

Algumas telas podem emitir interferência harmônica, principalmente na banda de 2,4 GHz entre os canais 11 e 14. Essa interferência poderá piorar se você estiver usando um notebook com a tampa fechada e houver um monitor externo conectado a ele. Altere o ponto de acesso para usar um canal de 5 GHz ou de menos de 2,4 GHz.

Cabos desprotegidos

Discos rígidos externos ou outros dispositivos que não estejam com os cabos bem protegidos podem interferir em dispositivos sem fio. Se desconectar ou desligar o dispositivo ajudar, troque o cabo que conecta o dispositivo ao computador.

Outros dispositivos sem fio

Outros dispositivos sem fio que operam na largura de banda de 2,4 GHz ou 5 GHz (transmissores sem fio, câmeras sem fio, babás eletrônicas, o dispositivo Wi-Fi de um vizinho) podem causar interferências nas conexões Wi-Fi ou Bluetooth.

Alguns dispositivos podem não indicar especificamente que operam na largura de banda de 2,4 GHz ou 5 GHz. A documentação do produto deve apresentar as frequências nas quais o dispositivo opera. Esses dispositivos podem ser chamados de “Dual Band”, “Wi-Fi” ou “sem fio”.

Barreiras sem fio

A localização do dispositivo e os materiais da construção do imóvel podem afetar o desempenho do Wi-Fi e do Bluetooth. Se possível, evite barreiras ou altere o local dos dispositivos Wi-Fi ou Bluetooth para que o caminho do sinal fique mais livre.

Exemplos:

  • O computador está embaixo de uma mesa de metal, e você usa um mouse sem fio (Bluetooth) em cima dela. O metal da mesa pode atuar como um escudo entre o mouse e o computador. Talvez você não consiga emparelhar o dispositivo com o computador ou o cursor do mouse se mova de modo irregular.
  • A Estação Base AirPort está no andar de baixo, e o computador, no andar de cima. O material entre os dois andares é concreto com reforço de metal. O chão do andar pode diminuir ou bloquear o sinal Wi-Fi da Estação Base para o computador. Talvez você perceba a velocidade da rede mais lenta, a força do sinal mais fraca ou não consiga se conectar à rede Wi-Fi.

Obstruções que refletem e absorvem radiofrequência (RF) incluem:

Tipo de barreira Potencial de interferência
Madeira Baixo
Materiais sintéticos Baixo
Vidro Baixo
Água Médio
Tijolos Médio
Mármore Médio
Gesso Alto
Concreto Alto
Vidro blindado Alto
Metal Muito alto

Reduzir os efeitos da interferência de outros dispositivos sem fio

Se houver muitos dispositivos sem fio conectados ao computador ou nas proximidades, talvez seja necessário ajustar os canais usados pelos dispositivos Wi-Fi.

Para minimizar a interferência entre os dispositivos Wi-Fi e Bluetooth:

  1. Altere os canais da rede sem fio. Para as Estações Base AirPort ou para o AirPort Time Capsule, redefina a estação base, e ela tentará usar os canais de 2,4 e 5 GHz com o mínimo de interferência ao inicializar.
  2. Se possível, conecte-se a uma rede sem fio de 5 GHz.
  3. Coloque o computador e o roteador Wi-Fi, assim como a Estação Base AirPort, mais próximos um do outro.
  4. Diminua o número de dispositivos Bluetooth sem fio ativos que estão conectados ao computador ou funcionando na área.

O Diagnóstico da rede sem fio pode ajudar a avaliar o seu ambiente Wi-Fi.

Fonte: Apple